sábado, 22 de outubro de 2011

Brasileiros se destacam no Rio Comicon 2011

Rafael Albuquerque, Gustavo Duarte e Roger Cruz são alguns dos convidados da feira de quadrinhos

Beatriz Merched, iG Rio de Janeiro | 22/10/2011 18:14

enviar por e-mail
Brasileiros se destacam no Rio Comicon 2011 Rafael Albuquerque, Gustavo Duarte e Roger Cruz são alguns dos convidados da feira de quadrinhos
* campos são obrigatórios
corrigir
Brasileiros se destacam no Rio Comicon 2011 Rafael Albuquerque, Gustavo Duarte e Roger Cruz são alguns dos convidados da feira de quadrinhos
* campos obrigatórios

Foto: Beatriz Merched/iG
Rafael Albuquerque recebeu o prêmio Eisner de melhor série na última San Diego Comic Con
Prêmios e sucesso não são mais privilégios de artistas estrangeiros quando o assunto é história em quadrinho. Durante a segunda edição do Rio Comicon, na Estação Leopoldina, no Centro do Rio, público e fãs poderão conferir de perto dezenove quadrinistas que vêm se firmando cada vez mais no cenário nacional e internacional. No primeiro dia do evento, o iG teve a oportunidade de conversar com alguns deles e saber sobre suas influências e materiais preferidos para desenhar.

O gaúcho Rafael Albuquerque, depois dos gêmeos Fábio Moon e Gabriel Bá e Rafael Gram, é o artista mais conhecido nos Estados Unidos. Por Vampiro americano ele . Atualmente, Rafael publica o folhetim Tune 8. A história de ficção científica envolve um piloto que participa de uma viagem no tempo. No Rio Comicon, ele participa da Exposição dos Convidados com uma amostra de seu trabalho e participa da Plataforma dos Desenhistas autografando álbuns para os fãs. "São caras como Eduardo Risso, Ivo Milazzo, Joe Kubert e Frank Miller que me influenciam demais.
O paulista Roger Cruz já deixou a temática dos quadrinhos de super-heróis de lado e investiu em trabalhos mais autorais. E foi visando a liberdade de criação que o artista de 40 anos e fã das histórias de gibis Gasparzinho e Riquinho optou por trabalho de forma independente sem se vincular à uma editora. "Produzimos muito pouco comparado ao mercado internacional, mas temos profissionais excelentes aqui. Acho que versatilidade é uma das minhas marcas e,depois de 20 anos de trabalho, posso afirmar que é possível viver de quadrinhos!".

Foto: Beatriz Merched/iG Ampliar
Gustavo Duarte lança a Birds feita em lápis e nanquim
Chargista, caricaturista e quadrinista Gustavo Duarte lançou sua primeira história em quadrinhos por influência dos gêmeos Fábio Moon e Gabriel Bá. De forma independente, surgiu Có que narrava apenas através de ilustrações as aventuras de galinhas, porcos e extraterrestres. Aos 34 anos, se orgulha de viver há 15 dos próprios desenhos. "No começo era mais fácil já que eu vivia com meus pais. Mas, no Brasil, o início de qualquer profissão é difícil. O importante é fazer com tesão, com vontade", avalia Gustavo. Na Rio Comicon, ele . "Esses são meus materiais preferidos".

Rafael Coutinho é designer, artista plástico, quadrinista e animador. Costuma dizer que faz quadrinhos desde que pegou um lápis pela primeira vez na infância. Atualmente, trabalha em sua primeira história solo, Mensur. "O quadrinista hoje em dia se divulga muito mais fácil. O leitor de quadrinhos já é um público refinado que busca muito mais do que o humor", diz Coutinho. O contato com a rotina de um quadrinista surgiu cedo na convivência com o pai. E hoje em dia, o artista se orgulha em dizer que seus traços já são reconhecidos. "Não posso dizer que tenho uma marca registrada, mas é bom saber que tenho admiradores e que eles conseguem identificar um trabalho meu. O começo é difícil mas vale a pena", ressalta.
FONTE:http://jovem.ig.com.br/brasileiros-se-destacam-no-rio-comicon-2011/n1597308712934.html
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário